Arquivo da Categoria “IPv6”


Olá Pessoal,

Fiz este resumo sobre pontos mais importantes do IPv6 para ser didático, compreensível e objetivo. O nível de abrangência deste resumo ficaria num ponto intermediário entre as certificações CCNA e BSCI. Segue abaixo.

IPv6

- Foi adicionado diversas funcionalidades se comparado com o IPv4, tais como: 128 bits para endereçamento (IPv4 apenas 32), segurança (através de extension headers), técnicas para transição de IPv4 para IPv6, QOS embebbed (direto no  header), autoconfiguration (permite um host obter um endereço IP sem ter que rodar um DHCP na rede) e mobilidade IP.

- O endereço IPv6 possui 128 bits e é dividido em 8 ’sextetos’, cada um com 16 bits.

- O Header (incluindo IPs de origem e destino) possui 320 bits, sem as extensões - apresentado abaixo.

Header IPv6

- IPv6 não possui o campo checksum (e nem o realiza) por considerar que o controle de erros das camadas inferiores é confiável.

- IPv6 não usa broadcast, e sim multicast. Um broadcast poderia ser simulado enviando um multicast para o endereço All-nodes, escopo Link-local (FF02::1).

- Endereço de Loopback - ::1/128 (IPv4 = 127.0.0.1). Endereço default-route - ::0/0 (IPv4 = 0.0.0.0/0).

- EUI-64: formato derivado do MAC-address utilizado para se atribuir endereços Link-Local. É pego o MAC address (48 bits), inserido o número hexadecimal FFFE no meio dele e modificado os primeiros 2 bits (de 00 para 20), portanto o MAC 00eb.1234.3322 no formato EUI-64 ficaria: 02eb:12ff:fe34:3322. Enfim, agregando o prefixo para endereços Link-local teríamos: FE80::02eb:12ff:fe34:3322.

- Tipos de endereços IPv6:

  • Global Unicast: Identifica um host único na Internet. Serão atribuidos prefixos para cada organização (48 bits ou menos), como visto na figura. A IANA definiu o prefixo para estes prefixos como 2000::/3.Prefixo Global Unicast
  • Link-Local: Cada interface recebe um destes endereços. É utilizado para os dispositivos na mesma rede se comunicarem sem ter de utilizar o endereço Global Unicast. Utilizam o Prefixo FE80::/10 + o formato EUI-64.
  • Site-local. Endereço único dentro do escopo da organização, não roteável na Internet. Prefixo: FEC0::/10.

- Multicast: Identificado pelo prefixo FF00::/8. Os próximos 4 bits são flags, e os outros 4 próximos definem o escopo do Multicast (apresentados abaixo). Ao lado, é apresentado um esquema da abrangência dos escopos.

IPv6 - Escopo Multicast

  • 1 = Interface-local.
  • 2 = Link-local.
  • 5 = Site-local.
  • 8 = Organization-local.
  • E = Global.

- Anycast: Um endereço Global Unicast atribuido a mais de um dispositivo, definido-o como anycast. Tem como função rotear para o dispositivo anycast mais próximo. Veja abaixo.

Endereço Anycast demonstrado

- Hosts Ipv6 devem responder pelo menos nos seguintes endereços:

  • Global Unicast e Anycast (2000::/3)
  • Link-local (FE80::/10, por autoconfiguration
  • Loopback (::1/128)
  • All-nodes Multicast (FF01::1 e FF02::1)
  • Outro grupo multicast atribuido.

- Roteadores, além de responder neste endereços devem ainda responder em:

  • Endereço Anycast da subrede (endereço da subrede com o Interface ID - endereço do host - setado em 0)
  • All-routers Multicast (FF01::2, FF02::2, FF05::2)
  • Grupos de multicast definidos por protocolos de roteamento (se aplicável). EIGRP for IPv6: FF02::10, OSPFv3: FF02::5 (todos Routers) e FF02::6 (apenas DR e BDR).

- As principais formas de transição do IPv4 para IPv6 pode ser feita através do Dual Stack (rodar ambos IPv4 e IPv6 até não ter mais necessidade de IPv4) e Tunelamento (encapsular o pacote IPv6 dentro de um pacote IPv4 - figura). Para o tunelamento é previsto o prefixo 2002::/16.
Tunelamento IPv6

Referências

- CCNP BSCI Official Exam Certification Guide 4th edition, por Brent Stewart. CiscoPress

- CCNA 4.1 Guia Completo de Estudo, por Marco Filippetti. Visual Books

- CertProject, imagem do header IPv6.

Cisco IOS IPv6 Multicast Introduction - MT BOM.

RFC 3513 Internet Protocol Version 6 (IPv6) Addressing.

Gostaria de dedicar apoio especial a todos que estarão se certificando ao longo do mês de junho.

Um grande abraço,

Maurício Bento Ghem.

Comments Nenhum comentário »

Olá Pessoal,

Mais um laboratório interessantíssimo a nível de CCNP. Este laboratório é bastante simples, mas ilustra da melhor maneira um problema que todos nós Network Engineers teremos de enfrentar no futuro.

Como a Internet roda IPv4 será um grande desafio migrá-la para se utilizar IPv6 em todos seus pontos. Este laboratório é ilustrado o tunelamento GRE entre duas localidades utilizando como meio a Internet (R2 simulando uma rede IPv4).

Abaixo é apresentado a topologia da rede.

Laboratorio IPv6 - 6-to-4 Tunneling

A IOS utilizada é a c7200-advipservicesk9-mz.124-9.T.bin disponível no HD do blog. Seguem as mesmas recomendações para os laboratórios: usem e abusem de comandos show e debug, modifiquem o laboratório e o utilizem para estudar e APRENDER.

Abaixo, é apresentado o link para download.

Laboratório IPv6 - 6-to-4 Tunneling (atualizado)

Um forte abraço,

Maurício Bentow.

Comments 8 comentários »

Laboratorio Ipv6 Ospfv3 7200Olá Pessoal,

O tema abordado na BSCI é roteamento e é expandido incluindo a nova versão do protocolo IP, o IPv6. Esse novo protocolo proporcionará muitas dezenas de IPs a mais se comparado com o IPv4, utilizado atualmente.

O IPv6 para muitos (inclusive eu) é muito obscuro e complicado, mas se você estudar com calma atenção e praticar bastante através de laboratórios você entenderá seu funcionamento, inclusive estes endereços gigantes.

O laboratório que estou disponibilizando eu fiz para praticar o endereçamento, sumarização e o funcionamento com o OSPFv3 (OSPF para o IPv6).

»Continuar lendo Laborátorio IPv6 e OSPFv3

Comments 3 comentários »