Arquivo da Categoria “Laboratórios”

Arquivos de laboratório.

Olá Pessoal,

Fiz este laboratório para podermos entender como funcionam as diferenças entre as tabelas de roteamento e a de topologia do protocolo EIGRP.

O laboratório consiste em modificar as larguras de banda dos enlaces, para monitorar o resultado na tabelas topológica e de roteamento e verificar a convergência entre estas.

O download do laboratório com as configurações utilizadas pode ser feito aqui abaixo:

Laboratorio EIGRP - Sucessor e Feasible Sucessor

Abaixo é apresentado uma imagem do laboratório e as instruções.

Laboratório EIGRP - Sucessor e Feasible Sucessor

Um abração pessoal,

Maurício.

Comments 1 comentário »

Olá pessoal,

Faltando apenas uma semana para o grande dia, estou praticando bastante minhas habilidades práticas nos temas que senti que precisava de um reforço.

Um destes era como funcionava a convergência do protocolo OSPF em redes multi-acesso e a relação dos Routers IDs com a escolha do DR e do BDR da rede.

O laboratório foi feito para que se possa ver a convergência da rede quando esta sobre uma modificação.

Nota-se que cada segmento multi-acesso possui a eleição de um DR e/ou BDR, logo, para as redes que possuem apenas um dispositivo, esta terá somente um DR e nenhum BDR.

A respeito do Router ID, este é o maior IP numa interface lógica (loopback). Se não existir uma interface lógica, o RID é definido como o maior endereço IP  de uma interface participante no processo de roteamento.

O download pode ser feito abaixo:

Link para o download do Laboratório completo de Convergência OSPF Multi-acesso (DR e BDR).

Segue abaixo uma imagem do laborátório.Laboratório de Convergência OSPF - DR e BDR

Um abração pessoal,

Maurício.

Comments Nenhum comentário »

Olá Pessoal,

Encontrei este laboratório na Internet, dedicado ao aprendizado de como funciona a convergência do protocolo STP (Spanning-Tree Protocol).

Com ele é possível ver quem é o Root Bridge, as Root, Designed e Non-designed ports e acompanhar a convergência da rede conforme se apagam links e Switchs da topologia.

Laboratorio Spanning-Tree Protocol STP

Abaixo uma figura do laboratório.

Topologia Laboratório Spanning Tree STP.

Topologia Spanning-Tree do laboratório.

Um abração pessoal.

Maurício.

Comments 2 comentários »

Olá Pessoal,

Baseado neste laboratório de Frame-relay, dou continuidade à lista de comandos Show. Agora, tratando de: roteamento, OSPF, NAT e ACL.

Abaixo apresento uma imagem da topologia, e então os comandos Show, baseado na mesma.

Topologia do Laboratório Completo de Frame-Relay.

Topologia do Laboratório Completo de Frame-Relay.

COMANDO RELACIONADO A RESULTADO
Show ip route Tabela de Roteamento Apresenta a tabela de roteamento. Mostra a rede na qual foi aprendido (dinâmica ou estaticamente), [distância administrativa/métrica] e o IP e a interface na qual foi aprendida esta rota
Show ip protocols Protocolo de Roteamento Apresenta informações dos protocolos de roteamento em execução (resumo e status). São dadas informações como: detalhes específicos de cada protocolo (ex. Router ID para OSPF), redes que está anunciando e vizinhos (fontes) de roteamento.
Show ip ospf OSPF Apresenta as configurações estipuladas para o protocolo OSPF. Apresenta informações como: Router ID (o maior ID (IP) ou o ID definido na interface Loopback, se existir) e temporizadores.
show ip ospf data OSPF Apresenta, agora, os Link IDs, ou seja, o ID que cada link (interface) possui, o tempo no qual foi aprendido (age) e o Link ID (ID da interface do roteador) que está anunciando a rota.
Show ip ospf interface <interface> OSPF Apresenta todas informações OSPF relativo a cada interface. Informações como: endereço IP, área OSPF, Router ID, tipo de rede (ppp,point-to-multipoint), informações sobre DR/BDR(para links ppp o OSPF não elege DRs), timers e informações sobre vizinhos (adjacências).
Show ip ospf neighbor OSPF Apresenta um resumo e status da adjacência com os vizinhos. Este comando apresenta informações como: ID do router vizinho, estado (DR,BDR..), dead time (tempo até a rota se extinguir, ou receber um novo hello), endereço IP do vizinho e interface local do Router no qual se encontra este vizinho.
Show ip nat translations NAT Apresenta as traduções NAT feitas e informações como: protocolo, inside local e global e outside local e global.
Show ip Nat statistics NAT Apresenta estatísticas de tradução NAT.
Show ip Access-lists ACLs Apresenta todas as ACLs IP criadas e a quantidade de matches (quantas vezes ela foi aplicada).

Comandos:


R_NH#show ip route
Codes: C - connected, S - static, I - IGRP, R - RIP, M - mobile, B - BGP
D - EIGRP, EX - EIGRP external, O - OSPF, IA - OSPF inter area
N1 - OSPF NSSA external type 1, N2 - OSPF NSSA external type 2
E1 - OSPF external type 1, E2 - OSPF external type 2, E - EGP
i - IS-IS, L1 - IS-IS level-1, L2 - IS-IS level-2, ia - IS-IS inter area
* - candidate default, U - per-user static route, o - ODR
P - periodic downloaded static route

Gateway of last resort is 172.16.1.1 to network 0.0.0.0

172.16.0.0/30 is subnetted, 3 subnets
C 172.16.1.0 is directly connected, Serial0/0.101
O 172.16.2.0 [110/3570] via 172.16.1.1, 00:01:05, Serial0/0.101
O 172.16.3.0 [110/3570] via 172.16.1.1, 00:01:05, Serial0/0.101
C 192.168.20.0/24 is directly connected, FastEthernet0/0
O 192.168.30.0/24 [110/3571] via 172.16.1.1, 00:01:05, Serial0/0.101
O 192.168.40.0/24 [110/3571] via 172.16.1.1, 00:01:05, Serial0/0.101
O*E2 0.0.0.0/0 [110/1] via 172.16.1.1, 00:01:05, Serial0/0.101

R_Matriz#show ip protocols
Routing Protocol is “ospf 20″
Outgoing update filter list for all interfaces is not set
Incoming update filter list for all interfaces is not set
Router ID 201.0.0.2
Number of areas in this router is 1. 1 normal 0 stub 0 nssa
Maximum path: 4
Routing for Networks:
172.16.1.0 0.0.0.3 area 0
172.16.2.0 0.0.0.3 area 0
172.16.3.0 0.0.0.3 area 0
Routing Information Sources:
Gateway Distance Last Update
172.16.1.2 110 00:16:43
172.16.2.2 110 00:16:43
172.16.3.2 110 00:16:43
Distance: (default is 110)

R_Matriz#show ip ospf
Routing Process “ospf 20″ with ID 201.0.0.2
Supports only single TOS(TOS0) routes
Supports opaque LSA
SPF schedule delay 5 secs, Hold time between two SPFs 10 secs
Minimum LSA interval 5 secs. Minimum LSA arrival 1 secs
Number of external LSA 1. Checksum Sum 0×00f80e
Number of opaque AS LSA 0. Checksum Sum 0×000000
Number of DCbitless external and opaque AS LSA 0
Number of DoNotAge external and opaque AS LSA 0
Number of areas in this router is 1. 1 normal 0 stub 0 nssa
External flood list length 0
Area BACKBONE(0)
Number of interfaces in this area is 3
Area has no authentication
SPF algorithm executed 2 times
Area ranges are
Number of LSA 4. Checksum Sum 0×021d3a
Number of opaque link LSA 0. Checksum Sum 0×000000
Number of DCbitless LSA 0
Number of indication LSA 0
Number of DoNotAge LSA 0
Flood list length 0

R_Matriz#show ip ospf data
OSPF Router with ID (201.0.0.2) (Process ID 20)

Router Link States (Area 0)

Link ID ADV Router Age Seq# Checksum Link count
192.168.20.1 192.168.20.1 379 0x80000003 0x00d1a1 3
201.0.0.2 201.0.0.2 379 0x80000007 0x000857 6
192.168.40.1 192.168.40.1 379 0x80000003 0x0091a1 3
192.168.30.1 192.168.30.1 379 0x80000003 0x00b1a1 3

Type-5 AS External Link States
Link ID ADV Router Age Seq# Checksum Tag
0.0.0.0 201.0.0.2 389 0x80000001 0x00f80e 1

R_NH#show ip ospf interface
FastEthernet0/0 is up, line protocol is up
Internet address is 192.168.20.1/24, Area 0
Process ID 20, Router ID 192.168.20.1, Network Type BROADCAST, Cost: 1
Transmit Delay is 1 sec, State DR, Priority 1
Designated Router (ID) 192.168.20.1, Interface address 192.168.20.1
No backup designated router on this network
Timer intervals configured, Hello 10, Dead 40, Wait 40, Retransmit 5
Hello due in 00:00:01
Index 1/1, flood queue length 0
Next 0×0(0)/0×0(0)
Last flood scan length is 1, maximum is 1
Last flood scan time is 0 msec, maximum is 0 msec
Neighbor Count is 0, Adjacent neighbor count is 0
Suppress hello for 0 neighbor(s)
Serial0/0.101 is up, line protocol is up
Internet address is 172.16.1.2/30, Area 0
Process ID 20, Router ID 192.168.20.1, Network Type POINT-TO-POINT, Cost: 1785
Transmit Delay is 1 sec, State POINT-TO-POINT,
Timer intervals configured, Hello 10, Dead 40, Wait 40, Retransmit 5
Hello due in 00:00:01
Index 2/2, flood queue length 0
Next 0×0(0)/0×0(0)
Last flood scan length is 1, maximum is 1
Last flood scan time is 0 msec, maximum is 0 msec
Neighbor Count is 1 , Adjacent neighbor count is 1
Adjacent with neighbor 172.16.1.1
Suppress hello for 0 neighbor(s)

R_Matriz#show ip ospf neighbor
Neighbor ID Pri State Dead Time Address Interface
192.168.20.1 1 FULL/- 00:00:37 172.16.1.2 Serial0/0.100
192.168.30.1 1 FULL/- 00:00:37 172.16.2.2 Serial0/0.200
192.168.40.1 1 FULL/- 00:00:37 172.16.3.2 Serial0/0.300

R_Matriz#show ip nat translations
Pro Inside global Inside local Outside local Outside global
icmp 201.0.0.2:3 192.168.40.3:3 200.213.1.2:3 200.213.1.2:3
tcp 201.0.0.2:1025 192.168.20.3:1025 200.213.1.1:23 200.213.1.1:23

R_Matriz#show ip nat statistics
Total translations: 1 (0 static, 1 dynamic, 1 extended)
Outside Interfaces: Serial0/1
Inside Interfaces: Serial0/0.100 , Serial0/0.200 , Serial0/0.300
Hits: 8 Misses: 4
Expired translations: 3
Dynamic mappings:

R_Matriz#show ip access-lists
Standard IP access list 1
permit 172.16.1.0 0.0.0.3
permit 172.16.2.0 0.0.0.3
permit 172.16.3.0 0.0.0.3
permit 192.168.20.0 0.0.0.255 (2 match(es))
permit 192.168.30.0 0.0.0.255
permit 192.168.40.0 0.0.0.255 (6 match(es))

Abração,

E sucesso a todos.

Referências:

- Filippeti, M. - “CCNA 4.1 - Guia Completo de Estudo”, Visual Books/2008.

- Cisco NetAcademy, Academy Connection. “Material oficial Cisco de Estudo”. <http://cisco.netacad.net>. Acesso em: 02/03/2008.

Comments Comments Off

Olá Pessoal,

É com imenso prazer que estou publicando este laboratório completo, desenvolvido a contento incluindo os arquivos txt de configuração de cada um dos routers e switch Frame-Relay e o arquivo do Packet Tracer.

Prosseguindo.

Este laboratório é composto de uma matriz que provê internet para as outras filiais conectadas cada uma por um link ponto-a-ponto a esta, como apresentado na figura abaixo:

Topologia do Laboratório Completo de Frame-Relay.

Topologia do Laboratório Completo de Frame-Relay.

Download do Laboratório Completo de Frame-Relay

Download do Laboratório de Frame-Relay utilizando protocolo de Roteamento OSPF NEW


Os artefatos implementados neste laboratório:

  • Criação de nuvem Frame-Relay possibilitando um circuito virtual na camada de enlace.
  • Utiliza o protocolo EIGRP com redistribuição da rota default possibilitando uma comunicação completa de toda a malha.
  • Utiliza NAT com Overload (PAT) possibilitando o acesso a ‘Internet’.

Os seguintes artefatos poderiam ter sido implementados a mais para ilustrar um cenário mais real e organizacional:

  • Serviço DHCP na Matriz para prover aos hosts (PCs) IPs alocados dinâmicamente.
  • Serviço DNS na Matriz provendo tradução dos nomes.

Itens a desfrutar neste laboratório:

  • Como o Frame-relay encapsula os quadros (frames) e entender o papel da nuvem e os diversos componentes.
  • Verificar a aprendizagem de rotas do EIGRP através dos diversos comandos show disponíveis.
  • Verificar as adjacências utilizando o protocolo CDP (Cisco Discovery Protocol).
  • Verificar as configurações para cada um dos equipamentos (Switch Frame-Relay, Roteador na Matriz e Filiais).
  • Absorver os conceitos passados neste laboratório.
  • E não esqueça, a criatividade é o limite. Modifique, pergunte e deixe-me saber o que achou deste laboratório.

Pessoal, acredito que é isso. Espero que aproveitem o laboratório, pois eu estou.

Como meu objetivo é de obter o CCNA, este laboratório engloba diversos conceitos interessantes num case aproximado do mundo real.

Um abração,

Maurício.

Comments 6 comentários »

Olá Pessoal,
Fiz um laboratório de switching um tanto básico, mas bem interessante para identificar a diferença entre links de acesso (switchport mode access) entre VLANs e ‘entroncamentos’ ou trunking (switchport mode trunk). Abaixo, segue a topologia inicial baseada nos switches Cisco Catalyst 2950.

Topologia inicial do Laboratorio Trunking

Topologia inicial do Laboratorio Trunking

Este Lab mostra a diferença entre utilizar 3 links de acesso para passar dados de 3 VLANS entre diferentes switches e utilizar apenas uma porta trunk para isso. O Lab poderia ser mais elaborado para depois se colocar EtherChannels e compartilhar a banda destes 3 links, mas o que possui já é interessante.

Este Lab foi extraído de um ‘pacotão’ com diversos laboratórios: Link

Segue o link para a atividade descrita contendo as resoluções escritas e do Packettracer:  VLAN Trunking Lab

Adicionado Roteamento entre Vlans e VTP. Vlan Trunking + VTP + Roteamento entre VLans Lab

Abraços,

E sucesso.

Maurício.

Comments 7 comentários »

Olá Pessoal,

Iniciando nossa proposta de estudos estou postando um laborátório interessante de Frame-Relay utilizando a topologia de matriz e filiais, com a nuvem Frame-relay em nosso controle.

Abaixo segue as instruções:

Objetivo:

Aprimorar os conhecimentos nas diversas áreas de configuração, implementação, solução de problemas manipulação dos comandos debug e show nos Routers e Switches. Este laboratório deverá conter configuração para as diversas áreas de estudo apresentadas abaixo:
O endereçamento IP será feito com base na rede 172.16.0.0/24 (classe B -> C). Cada filial necessita de 120 endereços para hosts, e na matriz 600. Para os links PPP uma sub-rede /30. Já no multi-point utilizar qualquer outro, respeitando o limite de classe.
Para a configuração com NAT utilize a classe 200.234.1.0/28.

A topologia utilizada é a seguinte:

Topologia Lab Frame-relay

Topologia Lab Frame-relay

Tabela IP:
Como temos a sub-rede disponível 172.16.0.0 / 16 ou 255.255.0.0 (máscara padrão) vamos alterar esta máscara para /24 ou 255.255.255.0. Ao fazer isto, sabemos que para cada sub-rede temos 254 ips válidos, ou 2^8(à potência de) = 256 – 2(nº de rede e broadcast) = 254 IPS validos. Como precisamos de 600, 120, 120 e 120, além dos links de wan ppp.

SUBNET MASK 1o IP valido ultimo IP valido LOCAL NECESSIDADE DE IPS
172.16.0.0/22 255.255.252.0 172.16.0.1 172.16.3.254 matriz 600, usado 1022
172.16.4.0/23 255.255.255.128 172.16.4.1 172.16.4.126 NH 120, usado 126
172.16.4.128/23 255.255.255.128 172.16.4.129 172.16.4.254 CB 120, usado 126
172.16.5.0/23 255.255.255.128 172.16.5.1 172.16.5.126 CX 120, usado 126
172.16.5.128/30 255.255.255.252 172.16.5.129 172.16.5.130 Rmat-Rsw 2
172.16.5.132/30 255.255.255.252 172.16.5.133 172.16.5.134 Rsw-Rnh 2
172.16.5.136/30 255.255.255.252 172.16.5.137 172.16.5.138 Rsw-RCB 2
172.16.5.140/30 255.255.255.252 172.16.5.141 172.16.5.142 Rsw-RCX 2

Premissas:

-    Alternar entre protocolos de roteamento: IGRP área 5, OSPF área 5, RIPv2.
-    VLANS + VTP nos switches e comunicação inter-filiais via protocolo de roteamento. Sendo a matriz o Server
-    DHCP nas filiais, utilizando o ip helper-address da matriz.
-    CDP
-    SNMP
-    PPP c/ autenticação CHAP
-    Redistribute a rota padrão (default gateway) da matriz, via prot. de roteamento.
-    Clock rate 64000
-    STP nos switches e ver como aprendem a RAIZ.
-    ACL’s permitindo certos tráfegos
-    NAT na matriz 1 ip por filial sairá pelo ISP.
-    Utilizar o Multi-point no final.

Em todos as variações de Labs, monitorar os seguintes itens:

-    Spanning-Tree Protocol / ver prioridades da raiz e os aspectos importantes / alterações na rede, monitorar.
-    Protocolo de Roteamento / alterações na rede / redistribute
-    Colocar um host de cada lado da rede e pegar DHCP
-    Usar e abusar dos comandos show e debug.

É isso aí pessoal. Rumo ao CCNA.

Abraços,

Maurício.

Comments Nenhum comentário »

Olá Pessoal,

Sejam bem-vindos ao novo website que em breve será reconhecido como referência para estudos da nova prova CCNA (640-802).

O objetivo do autor é de compartilhar todo o material de estudo utilizado para se preparar para a prova, apresentar um roteiro de estudos e estar apto a responder todas e quaisquer dúvidas.

O autor possui experiência de 2 anos no mundo de redes de computadores atuando na área de networking com Linux, mas não fugindo as configurações de equipamentos Cisco/Linksys.

Um abraço pessoal,
Maurício.

Comments 8 comentários »