Olá Pessoal,

O crescimento pessoal e profissional é que me inspiram a colocar matérias como esta no blog.

A GloboNews fez uma matéria a respeito da chamada geração Y, de jovens (como eu) que nasceram entre 1980 e 1990, numa geração bastante diferente onde não existem fronteiras para a comunicação, sendo que o foco, por parte dos pais, ao invés de ser o trabalho é o estudo! Esta matéria fala de como esta geração é ansiosa pelo crescimento, e que por não ter sido acostumada à receber ordens por parte dos pais, algumas vezes acaba se abalando quando recebe a primeira pressão do chefe.

O vídeo da matéria tem 20 minutos, mas recomendo que assistam do início ao fim.

Recebi esta matéria pela Viviane, uma colega de trabalho. Obrigado!

Um grande abraço,

Maurício.

Fonte:

http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1402922-17665,00-GERACAO+Y+COMO+CONCILIAR+VALORES+TRADICIONAIS+COM+A+VELOCIDADE+DA+NOVA+GERA.html

Compartilhe!
  • Twitter
  • Facebook
  • Digg
  • LinkedIn
  • del.icio.us
  • Technorati
  • Google Bookmarks
3 comentários para “A nova ‘geração Y’ - Muito potencial com poucos limites”
  1. Muito boa a materia Mauricio.
    Eu só vou descordar de uma coisa. Não sei se vc concorda cmg mas, eles estão generalizando essa tal de Classe Y com todos os jovens nascidos entre os anos 80 e 90. Eu acho que não é bem por ai. Não foram todos os jovens que nasceram nesse periodo que foram paparicados em casa pelos pais, que fizeram as melhores universidade e só agora estão ingressando no mercado de trabalho. Eu nasci em 1990, e não sou assim. Trabalho desde os 16 anos e sei muito bem como é o mercado de trabalho e me sinto preparado para enfrenta-lo. Ainda posso não ter todas as qualificações exigidas pelo mercado, mas posso afirmar que quando tiver, estarei pronto.

  2. Bom, eu sou de uma geração anterior (nasci nos anos 70 !) mas convivo diariamente com jovens desta faixa-etária nas Instituições em que trabalho e concordo com o Rafael, nem todos se enquadram neste perfil. Entretanto, há uma parcela significativa de jovens com estes problemas e devemosaprender a lidar com eles e como ajuda-los a desenvolver seu potencial de forma positiva !

    Abs,

  3. Olá Pessoal,

    Eu tive que colocar esta matéria no blog, pois por como estou me formando muito cedo (21 anos), e por ter colegas em situação similar, reconheço que parte do que é falado na matéria se aplica a mim. Por fazer uma faculdade onde o turno é quase integral, meu tempo de experiência profissional foi reduzido, por falta de horário para trabalhar.

    A parte da matéria que se aplica a mim é na ânsia do crescimento. Acredito que isso impulsiona as pessoas a fazerem um trabalho melhor, mas o que a matéria quer dizer é que isso está demasiadamente exagerado nesta geração.

    Enfrentar o mercado é outra coisa. Existem pessoas que por estar nestas condições, não aguentam mesmo a pressão de ter um chefe cobrando por resultados, não sendo possível ‘dar uma curva’. E na minha opinião, essa é a linha tênue entre o jovem e a empresa, que deve ser trabalhada por ambas as partes. O jovem deve entender o seu papel, e saber que o mercado é duro, e que dependendo da empresa em que está suas idéias inovadoras não terão valor! Em contrapartida, a empresa pode começar a buscar novas formas de cobrar o jovem por resultados, e quando aplicável, ouvir suas idéias.

    Como sempre surge esse papo de inovação, idéias e tudo mais, empresas que aproveitam o potencial do jovem, além do que exerce em sua vaga, acabam ganhando. Mas, não é em todos os lugares que existe espaço para isso, é isso que devemos ter em mente (jovens).

    Espero ter expressado meu ponto de vista.

    Abração,
    Maurício.

  4.  
Comentar